AUTOCOMPAIXÃO = COMPAIXÃO

A compaixão é uma a forma de abrirmos espaço para tudo o que, de alguma forma, fixamos como errado, desviante, indesejável, seja dentro ou fora de nós. É nos relacionarmos com essas coisas sem julgamentos, sem pauta, sem bandeiras, sem o impulso de consertar. Deixamos que estejam ali e compassivamente, deixamos cair nossos conceitos de como eu e o mundo deveríamos ser.


"Em vez de considerar que os outros estão certos ou errados, ou reprimir esses conceitos em nós mesmos, podemos encontrar um caminho do meio, um poderoso caminho do meio. (...) O caminho do meio implica em não nos apegarmos à nossa própria versão com tanta firmeza. Envolve manter o nosso coração e mente abertos o tempo suficiente para perceber que, quando consideramos algo errado, fazemos isso para obter algum tipo de apoio ou segurança." - Pema Chodron, "Quando tudo se desfaz" - cap. 13


A partir disso fica mais fácil entender que compaixão e autocompaixão são uma mesma coisa! Algumas (muitas!) pessoas sentem que, ao serem autocompassivas, estão sendo egoístas ou narcistas, como se olhando para si estivessem negando ajuda para tanta gente que sofre “mais do que eu” mundo a fora. Ao contrário: ao sermos compassivos com nossos aspectos dolorosos abrirmos espaço para partes que não aceitamos em nós e nos outros possam estar presentes, desmontamos a necessidade de preservar o certo e eliminar o errado e, assim, podemos verdadeiramente ouvir e ajudar as pessoas. Sermos compassivos conosco permite que sejamos compassivos com os outros porque não temos mais a necessidade de rejeitar as partes deles que não nos agradam ou que não conseguimos suportar. Eu mudo e o mundo inteiro muda! Não há diferenças entre eu/ outro ou dentro/fora.



"Quando entramos numa sala com alguém, poderíamos não ter uma pauta, não saber o que dizer, não julgar essa pessoa? Poderíamos ver, ouvir e sentir os outros como realmente são? Essa é uma prática poderosa, pois nos levará a perceber como estamos sempre correndo, tentando nos sentir seguros novamente – tentando enquadrar a nós mesmo e aos outros dentro dos conceitos de certo e errado. A verdadeira comunicação, entretanto, só pode acontecer nesse espaço aberto." - Pema Chodron, "Quando tudo se desfaz" - cap. 13



E isso é maravilhoso! Quando estamos livres o outro também pode estar. Quando somos compassivos com nosso sofrimento, podemos ser compassivos com todo o sofrimento que encontrarmos no caminho!